Um panorama de mim

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Eu nunca me descrevi. Sério, já falei sobre tantas coisas, sobre determinadas dores e partes avulsas, mas nunca do todo. Pois bem, me chamo Elyse e tenho esse nome não sei porque, mas eu preferia Evelyn, que seria meu nome caso não fosse o que é.
Tenha 15 anos e pinto meu cabelo de vermelho regularmente. Vou à academia três vezes por semana (ou tento), gosto de ler e de escrever. Já usei aparelho, mas tirei e meus dentes ainda não são perfeitos. Sou míope e tenho astigmatismo e costumava ser muito levada quando era criança.
Sou apaixonada por Harry Potter e pela Demi Lovato. Eles são uma parte importante da minha vida agora, na verdade, bem importante. Meu maior sonho é conhecer o mundo, especialmente Londres. Tenho sonhos estranhos onde basicamente eu caminho pela Oxford Street. Quero aprender várias línguas (alemão, francês e italiano) e aperfeiçoar meu inglês.
Meu plano profissional é ser médica ou advogada ou fazer relações internacionais (perceba que eu não tenho um plano, na verdade...) e se nada der certo vou colocar as coisas na mochila e sair andando pelo mundão. Tenho fé cristã, mas não me identifico muito com essa coisa de "não pode fazer". Acho que Jesus era o cara mais paz e amor que já existiu e essas regras, muitas, não tem nada a ver com ele.
Sou comunista, por assim dizer. E também sou apaixonada por história. Acho que tem algo a ver com o fato de minha mãe ser historiadora. E já quis cursar psicologia, e ainda acho viável, mas isso também não tem nada a ver com o fato de meu pai ser psicólogo.
(Nota mental: Decidir a carreira profissional que eu quero seguir antes do vestibular)
Sou bem confusa e muitas vezes triste. Uma eterna romântica que sempre espera o melhor das pessoas, já lidei com as dificuldades de frente e com a morte também.
Sobre a morte: quando eu tinha 10 anos minha melhor amiga e tia morreu. Meu mundo caiu mas ninguém percebeu. E ano passado enfrentamos o câncer e ele venceu levando meu avô.
Sou carente, gosto de abraço. E essa é uma das coisas que não gosto que saibam... Eu sinto muito, demasiadamente. Se você me olhar de um jeito ruim, eu provavelmente vou te perguntar se te chateei ou algo do tipo. Não gosto de pessoas que mudam. Por mais que eu mude mais que as horas do dia.
Acho que é porque eu gosto da estabilidade, já que eu não a tenho.
Prezo o sorriso no fim de um dia cansativo e de lágrimas de sensibilidade. Eu tenho alguém especial, só que ele é um completo idiota e não valoriza isso... Isso nunca aconteceu com você, não é?
Sou extremamente irônica e tenho dias de ressaca nerd (não me pergunte). Sou cheia de perguntas dentro de mim e minha relatividade não daria para ser explicada com palavras (alô Einstein, onde está você agora?).
Detesto gente infantil e sou gorda sim, porque como muito brigadeiro. Defendo a tese de que quanto mais você conhece uma pessoa, mais você a ama e a quer longe. Proximidade de mais assusta, ainda mais o fato de que um dia ela vai embora e com certeza vai te deixar na merda (ela morre e você chora ou ela te abandona e você também chora).
As vezes faço caretas porque sinto meu rosto enferrujado. Sou apaixonada por cachorros e corujas e tenho um medo irracional de gatos (aqueles olhinhos brilhantes e malvados... um dia ainda vão dominar o mundo). Sou tímida e completamente surtada mas você já deve ter percebido isso ao ler até aqui.
Meu defeito é: não sei. Queria dizer que não tenho, mas a verdade é que eu não sei quais são. Ninguém nunca me conta.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!