Acídia

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

"A acídia leva à lamentação, à caça por culpados, ao rancor, à insatisfação constante e à cegueira espiritual."

Isso acontece quando você menos espera. De repente, milhares de coisas vem à sua mente, convidando-a à entrar em colapso. "Quem sou eu? Para onde vou? Porque estou aqui? Deus existe?" são as perguntas mais frequentes nesses momentos.

E como responder essas perguntas tão básicas para nossa existência e tão aparentemente sem resposta? A verdade tem que ser dita: talvez Deus realmente não exista, talvez sejamos somente poeirinha de estrela perdida e boiando em meio ao cosmos infinitamente grande, girando em um planetinha insignificante. E também existe a outra opção. Deus existe e ele fez tudo isso para nós, cuida para que não nos machuquemos e leva-nos para si quando é o momento certo.

E como decidir qual vai ser a verdade inabalável que vai nortear todas as nossas escolhas? É como dar um tiro no escuro. Você tem metade de chances de a arma estar apontada para você e não para o adversário. E que adversário.

O medo. O tempo, a vida, os ganhos e enganos. Há quem diga que acídia é um pecado capital, não que eu me importe. Mas se existe um Deus, acho que é esse o momento - a crise - que ele mais fala conosco. Só nós poderemos escolher ouvir. Encerro com uma frase peculiar e que se adequa muito aqui: Deus, que tu existas.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por comentar!







Design e código feitos por Julie Duarte. A cópia total ou parcial são proibidas, assim como retirar os créditos.
Gostou desse layout? Então visite o blog Julie de batom e escolha o seu!